Uma reflexão e votos para este Natal e cada Momento da Vida

“Do ponto de Amor no coração de Deus

Que aflua Amor aos corações dos Homens
Que Cristo volte à Terra”
(Excerto de A Grande Invocação http://yhiolascalata.blogspot.com/2008/09/grande-invocao.html)
O Coração de cada um de nós é uma Manjedoura.
Que a encontremos cheia neste Natal e em cada dia da(s) nossa(s) vida(s).
Que saibamos abraçar a nossa humanidade, com humildade e compaixão, e ao mesmo tempo deixar-nos fecundar pelo Divino, para então parirmos o nosso Eu Autêntico.
Que nasçamos/sejamos por pleno direito filhos e filhas de Deus e da Vida.
Assim Cristo chega à Terra.
Assim abraçamos a Graça de O servir. 
Assim vivemos o Céu na Terra.


Sim, permitam-me partilhar convosco o que penso e sinto, ainda que não sejam novidades, nem muito novas formas de as dar, sabendo que vou brincar com ternura enquanto falo e que falo muito, mas muito a sério. Sim, também falo muito, e agora "estiquei-me"! Mas conto que gozarão da liberdade de sequer ler, ler na diagonal ou simplesmente interromper a leitura se os “olhos” ficam fartos – e a “barriga” nem por isso. Afinal falo aqui precisamente da alegria do amor e da liberdade, e as prendas não seriam verdadeiras prendas se não respeitassem a liberdade de serem ou não recebidas, sem pôr em causa o amor - que esse não precisa de prendas, nem de as dar nem de as receber, de tão feliz que é por simplesmente ser! E no fundo tudo se resume a desejar-vos/nos o melhor da vida e de cada um de nós!

Desta maneira, que é tão minha, renovo a minha reflexão e prece ou votos, para mim, para ti, para nós, neste Natal, em 2012 e em cada Instante de Vida!

O nosso coração é como a manjedoura que aninhou Jesus, conforme reza (ia dizer conta, mas parece-me que “reza” é melhor e “bendito”) a história.
A maior parte de nós, passa a primeira fase (se não toda) da nossa vida a sentir a manjedoura vazia, sem palhas, nem burros, nem sagrada família, quanto mais Cristos; ou, pior ainda, em fuga desesperada em busca de um estábulo ou gruta disponível para se refugiar dos Herodes que por ai correm. Sim, pois aprendemos a acreditar que a Vida é madrasta e Deus um pai tirano, e sofremos, fugimos, revoltamo-nos ou ressentimo-nos pelo frio, medo, raiva, frustração e culpa - que é tão pesada que é redimida com dor e sangue o que claro, gera mais culpa… Curioso… como se não bastasse o frio, o medo, a raiva, a frustração e a culpa per si, ainda criamos e cultivamos um sofrimento extra, uma fuga extra, uma revolta extra e/ou um ressentimento extra em relação a tudo isso! E em vez de procurarmos libertarmo-nos desses extras pesados e sufocantes, orgulhamo-nos deles e cultivamo-los como se o sofrimento, a revolta e o ressentimento nos envolvessem (e insuflassem) uma "aura" de dignidade ou mesmo de poder! E quando conseguimos receber um raio de sol através dessa cortina ou muralha insuflada, quantas vezes resistimos a sorrir, insistindo na birra e cara fechada porque “o meu brinquedo partiu (foi roubado, perdi, nunca tive, etc) e eu só quero isso e NADA o pode substituir!!”!? Quem dera neste natal, @ menin@ (jesus, francisco, manuela...) nascesse em cada coração e, por favor, crescesse, com sabedoria! Sim, ou por outras palavras, que a mãe/pai que o pariu se deixasse amadurecer na sua presença, desarmando-se e fortalecendo-se, sendo un@ com ele!
- Mãe/pai?!... Sim, mãe e pai simultaneamente! Todos temos um lado masculino e um lado feminino e, independentemente da nossa orientação sexual, está na hora de desenvolvermos ambos os aspectos da nossa energia, de forma harmoniosa!


Como desejo que todos os bebés deste mundo tenham sempre um lugar seguro onde nascer e toda a palha, cobertas, tectos, leite, brinquedos, sossego, amigos reis e amigos burros, e o alento e colo quente de que precisam para estarem quentinhos e aninhados e confortáveis e contentes e sentirem-se benvindos!
– Bolas, quem dera que nascessem sempre numa família assim, como a de José e Maria, que recebe Jesus de braços abertos e peito mais aberto ainda, mesmo quando as más línguas são deflagradas por supostas ilegitimidades, ou a conjuntura política, outra crise, implica que o nascimento não aconteça na (aparente) melhor hora.
Não é preciso ser católica para ficar comovida pela coragem e fibra deste casal, pela sua capacidade de reconhecer e acatar a mensagem dos anjos, na hora que é a melhor por ser a presente, pela sua capacidade de permanecer humildes e humanos, pela sua capacidade de dar o melhor de si para superar todo o medo e dificuldades (bem) concretas para acolher o filho de Deus, com verdadeiro Amor e Alegria e, atrevendo-se até a sentir confiança!

Podemos ansiar por um estábulo bem pintado, uma manjedoura bem torneada, palhas bem secas e fofas, cobertas macias e lindas, uma carpintaria próspera e criativa, prateleiras e peças de design - assinadas pelo carpinteiro, rotinas fáceis e rápidas, todos os electrodomésticos da última geração, transportes reluzentes (já agora que sejam "verdes" se não são colectivos, e que os burros sejam bem cuidados e felizes!)… Sem dúvida facilitam-nos a vida, e quem dera todos tenham tudo o que (realmente) precisam.
Mas fazer dessa ânsia a missão de vida, é permanecer descontente, vazio e triste (sem falar de fazer o mundo mais vazio, feio e morto, pelo esgotar dos seus recursos e pelas desigualdades cultivadas no mundo, mas deixo isso para outra quadra). E tanto podemos consumir o que quer que seja, como fazer mil e uma coisas, ou ainda alienar-nos com mil e um dopings (jogos e tv incluídos) para disfarçar esse mau estar, que é garantido que ele piora, pois não é (só) disso que temos fome.  
Experimenta tentar "matar" a fome com açúcar, com trabalho, com borgas, com exercicio físico, com compras, com conversas, com abraços, com elogios, com ronhas, com passeios, com músicas, com filmes e/ou indo dormir durante dias - consegues disfarçar a fome durante algum tempo, tornando o apetite "dormente", e até podes sentir satisfação "substituta"; contudo, se és saudável o apetite acaba por acordar e meter-se bem diante dos teus olhos, persistente e extremamente exigente: "preciso de comer!" - quantas vezes surge até com a "legenda" sobre qual o alimento ou nutriente de que carece (frutas/vitaminas, etc); e se por alguma razão a inanição persistir, o apetite acaba por desistir e com isso a necessidade de comer parece desaparecer - ironivamente, o corpo está tão faminto que auto-digere-se, debilitando-se, até que, com o agravar da situação, morreria se tentasse ingerir o prato mais saudável e nutritivo (sem ajuda especializada).
É (demasiado) fácil alhearmo-nos das nossas verdadeiras necessidades, e é fácil (demais) passar anos e anos da nossa vida sem perceber que estamos (demasiado) famintos. Mantemo-nos então perplexos com o nosso cansaço, colapsos, niveis de ansiedade, insatisfação, medo, desconforto... correndo a "matá-los" também...
Exemplo: Há quem mate o apetite de amor, tentando ingerir (re)conhecimento, e quem mate o apetite de (re)conhecimento, tentando ingerir amor. Pois fome de Amor, Conhecimento e Reconhecimento TODOS temos. Mas atrevo-me a dizer que são raros aqueles que apaziguam cada apetite com o nutriente que o pode de facto saciar, que o busque dentro ou fora de si... E a fome é demais, mas uma vez que o apetite é demenos, busca-se ainda mais de substituto (que acaba por enjoar) e o vazio de mais vazio alimenta-se! Sentimo-nos sozinhos e emaranhamo-nos cada vez mais na multidão em busca de calor, destaque ou festas e/ou afastamo-nos da multidão por sentirmo-nos esmagados por ela de tão vazios, diferentes ou inexistentes .
Bom talvez nunca te tenhas sentido assim nem feito nada disto que aqui descrevo... mas, só assim como quem não quer a coisa, queres experimentar olhar para dentro outra vez? Não precisas contar a ninguém - eu garanto-te que não conto! Mas aviso-te que talvez te surpreendas com a vontade que por vezes surge, depois de nos auto-denunciarmos, de nos "desbroncarmos" perante os outros e com os outros!

Estou certa de que houve pelo menos um momento da tua vida em que, para ser séri@ e absolutamente sincer@ terias que admitir para ti própri@: “tenho tudo o que supostamente preciso (segundo dizem e tu acreditas), e ainda assim sinto que falta alguma coisa para que a minha vida faça sentido”.
E em que momento na vida, sentiste um amor e uma alegria tão profunda que sentias-te feliz e realizad@, ainda que sem ter tudo, ou nada do que supostamente deverias ter para ser feliz?!
Convido-vos a reflectir nisto... a investigar o que faltava ali, o que havia aqui... sejam curiosos e investiguem-se! É tão bom aprendermo-nos, e não há nada de egoista nisto, pois quando aprendemo-nos, damos o melhor de nós próprios ao mundo, e podemos receber melhor os outros, aprendendo-os também, com menos enganos! Seria a melhor prenda que se ofereceriam! E seria a melhor prenda que me ofereceriam!
- ah, não era suposto eu pedir-vos prendas, que barraca! Adiante.

Não duvido de que quando Cristo, a tal criança é aninhada na manjedoura do nosso peito, nós que o parimos, anunciámos, acalentámos e servimos, e mantemos vivos os votos de o continuar a fazer em cada momento, com toda a nossa boa vontade, humildade e humanidade, sentimos uma alegria tão grande e de tal modo abençoados que a vida é grata! Sabemos qual a nossa direcção, qual o caminho. Teremos desafios, mas sabemos que são os desafios correctos, e aprendemos a seleccionar esses mesmos, os desafios que nos aproximam mais de nós própri@s e da vida, do Amor, da Sabedoria, da União…
Sentimo-nos sempre acompanhados, tanto quando apreciamos a nossa própria companhia como quando apreciamos a companhia dos outros. A companhia ganha um novo sentido, mais profundo, mais intimo e mais livre.
E a coragem também ganha um novo sentido, pois agora o que mais queremos é a graça de fazer o que essa criança divina, ou a nossa Alma, o nosso Eu Transpessoal, nos pede. E sabemos que é SEMPRE pelo NOSSO BEM MAIOR E PELO BEM MAIOR DE TODOS, logo, como não sentirmo-nos felizes de o cumprir? E quão realizados sentimo-nos por fazer parte dessa irmandade visivel e invisivel de servidores do mundo? E uma vez que sentimos que é por ali, com aquela qualidade de verdade e emoção no peito que são sinal inequívoco de estarmos diante da mensagem divina, ainda que não vejamos anjos quanto mais arcanjos, o medo não atrapalha – aliás, mais assustador seria não ir por ali! Não porque um olho “celeste” vai-nos castigar terrivelmente e eternamente pela desobediência e pecado, mas porque perdermos essa oportunidade de nos cumprirmos.
Claro que quando “a voz” nos diz para abraçarmos algo que sentimos como uma cruz terrivelmente pesada e dolorosa, temos medo e sofremos durante certo tempo, talvez até nos sintamos abandonados por Deus. É legitimo que assim seja, somos humanos, e isso fará parte da nossa jornada. Mas a dolorosa e também promissora história da ressurreição, ou a Noite Escura da Alma, arremete-nos para outra quadra. Fiquemos com o nascimento agora. E com o nascimento, vem a alegria de servir! A manjedoura não podia estar mais cheia. O coração alimenta e deixa-se alimentar.

Enquanto Cristo não nasce e instala-se permanentemente na manjedoura do nosso peito, temos a benção de o sentir ali de vez em quando. E cabe-nos o trabalho de perseverar, até que a transição, ou o parto, esse momento que nascemos filhos e filhas de Deus e da Vida, seja concluido! Para continuar a trabalhar, como agentes de Deus/Vida!
A vida protege quem ajuda a vida a ser mais viva. Não lhes falta alimento, calor nem oportunidades, pois a vida precisa desses agentes de vida e da sua evolução!!
E os agentes de vida, são tão mais poderosos como agentes vivificadores (curadores, sábios, etc), quanto mais vivos forem. E claro, quanto mais vivos forem, mais protegidos são, e mais co-criadores são.
E sabes o que significa ser muito vivo, ser realmente VIDA? Pois, eu também não! Mas estou a descobrir, tal como tu, espero, e quero continuar e aprofundar esta experiencia de entrega e investigação! E esta descoberta está a ser incrível! Estou a descobrir que ser muito viva, significa ser muito receptiva à vida, a deixar-me amar, viver e vivificar pela vida, e ao mesmo tempo amá-la, abraçando-a e emaranhando-me nela profundamente, participando nela com todo o meu ser. Contribuindo com o que sou e tenho a oferecer-lhe. Admirando a sua beleza e diversidade e ordem. Inspirando e expirando, receptiva e activa, pulsando, mantendo-me centrada e unida a tudo o que existe e a tudo o que eu sou, ao mesmo tempo. 
Nem sempre consigo alcançar este estado, e quando consigo é quase acrobático manter-me assim, ainda que o constatando, durante um pouco mais de tempo desta vez, enquanto o tempo não é linear... Ah, até voltar à condição  "normal", levando comigo essa experiência, insights, amor, sabedoria e procurando pô-los na pratica, apesar dos esforços das minhas resistências em manter-me no estagnado (e faminto) estado de "mesmice"... procurando conhecê-los e superá-los de facto, retendo-me de vez em quando... até procurar o que me dá "balanço"... Ainda tenho que aprender muito, tanto, tanto... mas é maravilhoso de facto, e é maravilhoso que seja real!

Quem vive deixando-se realmente viver pela vida, é denunciado pelos "olhos amorosos e brilhantes"! Nunca viste olhos assim? É tão bem dito quando lhe atribuem  "presença de espirito"! Não apetece estar junto de pessoas com os olhos assim? E olhar, conversar, aprender e fazer coisas em conjunto? Para quem vive tanto, em número de anos sim, mas refiro-me à qualidade deles, o tempo não atrapalha a lucidez, o "reumático" parece passar ao largo do corpo, e cada momento vivido traduz-se em experiencia, amor e sabedoria. E não é o analfabetismo que impede a partilha de sabedoria. O estudos são importantes, claro, mas há uma ligação profunda e directa a uma "base" de conhecimento que só aprendemos quando sabemos viver e ser vividos pela vida, e quando Nos conhecemos tão intimimamente que conhecemos intimamente a Vida também, pois reconhecemo-La em nós e sabemos que somos Vida.
Quando for velhinha espero ter os olhos assim - não esperas também os ter?


O que nos impede de ser vividos e de viver plenamente? Creio mesmo que são os nossos preconceitos e os nossos "nãos", ou seja o que eu não quero viver/ser! O que eu não quero, e por isso luto ou fujo ou manipulo ou escondo-me e finjo-me de mort@, para não ser obrigado a ver, aceitar, sentir, largar, descontrair, acreditar, conceber; o que eu não estou disponível para perceber sequer que está à minha disposição quanto mais considerar receber, pois estou demasiado envolvid@ com o meu próprio umbigo ou com o umbigo de alguém!
Tudo isso que nego, na vida, nos outros e em mim próprio fica ali, no escuro, num verdadeiro buraco negro que drena vida e energia, de mim e dos outros à minha volta. Nos momentos de crise, ou seja, nos momentos em que acontece ou receamos que aconteça alguma experiência dentro e/ou fora de nós (o que eu não quero ser, sentir, pensar vs. o que eu não quero que me aconteça...), enrolamo-nos sobre o nosso umbigo e entramos nesse buraco negro - um buraco negro feito da própria dor e medo e raiva que gerámos na luta desenfreada para não entrar nessa experiência da vida, dentro e fora de nós! A dor, raiva e medo a que chamei lá em cima de "extras", juntamente com todas as crenças deturpadas e decisões de que já nem nos lembramos de ter tomado, e que esforçamo-nos por não lembrar. A dor, raiva e medo por estarmos a morrer de fome sem perceber porquê pois o nosso apetite está moribundo. A dor, raiva e medo por estarmos conscientes do nosso apetite (e fome) mas não querermos pagar o preço de o saciarmos - quanto mais não seja porque estamos com dor, raiva e/ou medo demais.
Contraimo-nos, deixamos de respirar, anestesiamo-nos, manipulamos, distraimo-nos...
E a questão é que nós deliberadamente alimentamos estes "buracos negros"... Nós passamos a vida a fugir da vida e tentar controlá-la e depois ainda queixamo-nos! Está tudo certo, faz parte do processo.

Mas também faz parte do processo um dia aprendermos e praticarmos a capacidade de aproveitar os movimentos de contracção da vida, essas crises, para "apanharmo-nos" no vórtix de um buraco negro que criámos no esforço de fugir à experiência do presente e experiências análogas do passado, para então, desta vez, aliviar a força magnética desses buracos negros! Que é como quem diz: depois de reagimos a uma situação qualquer, interior ou exterior, que nos desagrada e com a qual não queremos lidar, desatamos a "estrebuchar" (buraco negro); se praticarmos e desenvolvermos o observador interno (que poderemos aprender através da práticas meditativas (induzidas ou espontaneas - como durante uma corrida matinal ou a lavar a louça -, terapias, etc., e começar a aplicar conscientemente em cada instante que vivemos) poderemos cada vez mais precocemente darmos conta de que reagimos a essa situação e que estamos "agora" a "estrebuchar" (até ao dia em que, pelo menos essa(!) situação já não nos faz "estrebuchar"). E nesse momento, vamos aliviar a força desse aperto (e com isso aliviamos a força de apertos posteriores). Como? Começando por descontrair o que nos dói, deixando de lutar para fugir à experiência interna e/ou externa e à sua sensação.
Como o Harry Potter e companheiros, que só podiam aceder à câmara dos segredos depois de cair sobre uma planta mágica com folhas "tipo tentáculos". Eles não acharam "grande graça" na planta, e debateram-se para fugir-lhe, e quanto mais o faziam mais eram esmagados pelo "abraço" dos tentáculos da planta de que tentavam fugir. Se persistissem esta tê-los-ia  de facto sufocado. Por outro lado, se, apesar do medo que sentiam da planta, descontraissem o corpo, ela soltava-os imediatamente, ficava imediatamente quieta, permitindo-lhes aceder à camara dos segredos. - Lutam e a planta activa-se abraçando-os mortalmente; entregam-se e a planta fica passiva libertando-os.

Analogamente, a "força de gravidade" dos nossos buracos negros é aliviada quando simplesmente nos entregamos ao próprio buraco negro... deixando de os alimentar com a nossa resistência. Permitimo-nos sentir o que sentimos, mas sem reagir e sem julgar. Simplesmente sentir, respirar, e acompanhar as nossas sensações, emoções e pensamentos. Constatar e continuar a observar a nossa própria resistência, o buraco negro (ou planta mágica) que nós criámos para não aceder ou para dificultar o acesso a determinada experiência da vida e de nós própios.  
Mantém-te a observar e investiga: o que está realmente em causa aqui? O que me move aqui? O que me retém aqui? O que é verdade, falsidade e meia verdade aqui? O que eu não estou a querer ver em mim e nesta situação?
Deixa que os insights venham ter contigo! Continua a respirar e a sentir o teu calor e outras sensações, deixa-te reconfortar pelo bater do teu coração, pelo toque da tua mão, pela tua curiosidade em experimentar testar este processo/exercício, pela tua respiração (cada vez mais confortável e profunda) e continua.

Não fiques pela "babujinha", mergulha fundo dentro de ti para bem alto emergires! E uma nota breve para a viagem: lembra-te que o que aparentemente contradiz, pode de facto contradizer ou simplesmente complementar - cada vez mais vejo que complementa! Contudo, seja como for, é na VERDADE que a tua confiança, segurança, auto-estima e valor próprio vingam.
Devagarinho ou repentinamente, o buraco negro perde a força do seu magnetismo, o seu abraço mortal, e permite-te "pousar" na câmara dos segredos, onde o que tu temes e que também anseias (embora possas estar consciente apenas de uma destas partes: a que quer ou a que rejeita) aguarda-te. E verás que vale a pena aproveitar para expandir cada vez mais essa ala imensa e luminosa!

E assim tomamos posse de mais uma parte de nós, de mais um campo de experiência, de um pouco mais de vida, dentro e fora de nós. Resgatamos recursos e força abissal. Trazemos a sabedoria, a auto-confiança, e a alegria que a própria experiência nos deu. Expandimos a nossa luz. Alimentamo-nos de luz. Somos luz. Somos mais vida e mais agentes de vida. 
Em cada contracção dessas, em que degladiamo-nos contra uma experiência de vida e as sensações que nos invoca, temos a oportunidade de dar um pouco mais de nós próprios à luz, revelando mais dos nossos segredos - perante o amor, que vai sendo cada vez maior, mais profundo e mais claramente inesgotável, não há de facto razões para ter segredos, perante nós própri@s, os outros e a vida! Tudo o que existe é significativo, e simplesmente pode ser usado ou manifestar-se de forma consciente ou (ainda) inconsciente... E nestes ires e vires, nestas voltas e contra-voltas da espiral evolutiva , é isso que expandimos, que conquistámos às nossas trevas: Consciência - amor e sabedoria. E quanto mais expandida é a consciência, menos extremadas são as polarizações.
Um dia, não interessa quando, se formos fieis a cada contracção e a cada expansão que lhe segue - e antecedeu, que os ciclos são assim; e felizmente também crescemos e expandimos a nossa capacidade de viver quando entramos em "camaras" de nós próprios e da vida com pura alegria e nenhuma resistencia - sentiremos de facto que nascemos enquanto seres humanos que também são filhos de Deus!


E o trabalho e graça do trabalho prosseguem, em cada contracção e expansão, inspiração e expiração da Respiração Divina.
Que assim seja,
pelo Bem Maior de Todos.

A tod@s
Aquele abraço renovado e caloroso
Margarida Santos

Funchal - Dezembro 2011 - Consultas e Partilha de Reiki

Olá Amig@s


A pretexto do Natal terei a oportunidade de apaziguar saudades da minha família, amigos e da própria ilha em que nasci entre os dias 19 e 27 de Dezembro. Embora o tempo seja curto, guardarei também disponibilidade para algumas consultas previamente agendadas.
Estou também a ponderar uma pequena partilha de Reiki (gratuita), em horário pós laboral. Se estiverem interessados, por favor contactem-me.


A tod@s
Aquele Abraço
Margarida Santos

Colóquio “Despertar da Consciência em Portugal”

Que a Consciência Desperte em todo o mundo, onde "cada mundo" vive!
Que este e outros movimentos confluam nessa grande corrente desperta e viva, cada vez mais desperta e viva.
A todos
Aquele Abraço
Margarida Santos


Colóquio “Despertar da Consciência em Portugal”
26 de Novembro na ESMTC em Lisboa


O Movimento Despertar Portugal vai promover um colóquio denominado “ Despertar da Consciência em Portugal” no dia 26 de Novembro na Escola Superior de Medicina Tradicional Chinesa.
A ideia deste Colóquio é proporcionar um dia de convívio, de esclarecimento e de actividades que promovam a Unidade e a Convergência. Teremos um conjunto de oradores e terapeutas que irão exprimir a consciência transpessoal e os efeitos que essa consciência pode oferecer no desenvolvimento da consciência individual e grupal, tão necessária nos tempos que estamos agora a viver.

Programa:
9: 30 – Abertura e recepção
10: 30 - As Oito Consciências no Budismo – Por António Teixeira
11: 15 - Intervalo
11: 40 - Meditação e Expansão da Consciência:
Contribuições da Psicologia Transpessoal no Processo de Despertar - Por Mário Resende
12: 15 - A progressiva expansão da Consciência: o nosso projecto Cósmico - Por Maria Flávia de Monsaraz
13:00 Almoço
14:30 - O nosso corpo como veículo de expressão do meu Eu Essencial - Por Maria del Mar Cervantes
15:15 - A Psicologia da Alma
“ Trabalho vivencial com as Constelações Familiares” - Por Maria Gorjão Henriques
16:00 - Consciência Individual, Consciência Universal, o despertar da Consciência da Alma Portuguesa - Por Luís Resina
16:45 – Intervalo
17:10 - Dinâmica Vivencial de Psicodrama/Sociodrama - Por Manuela Maciel
18:00 – Celebração de Encerramento

Data: sábado, 26 de Novembro 2011
Horário: 9h30 às 18h30 (almoço das 13h às 14h 30)
Local: Ginásio da ESMTC Rua Dona Estefânia 175
Contribuição: 10€ para pagamentos efectuados até ao dia 15 de Novembro; 20€ após essa data.
O pagamento deverá ser efectuado para o seguinte Nib: 0033 0000 45409731321 05 Millenium BCP
Pré inscrições: por email para despertarportugal@gmail.com ou lresina@espiral.pt
Rede Social: http://despertarportugal.com/

Promotores:

http:/despertarportugal.com/ http://espacosalitre.net http://www.esmtc.blogspot.com/

Oradores:
Maria Gorjão Henriques
A Psicologia da Alma
Iremos realizar uma palestra com trabalho vivencial sobre Constelações Familiares
As Constelações Familiares são uma ponte para a realidade da Vida que se manifesta através dos movimentos da Alma que transcendem a nossa capacidade de entendimento. É um trabalho que integra o Corpo e a Alma a partir das ordens ocultas do Amor
As Constelações Familiares mostram-nos como estamos todos ligados duma forma misteriosa e são uma oportunidade para constatar as teorias espirituais milenares, que dizem que "somos todos um só ser", assim como as mais recentes teorias científicas sobre a unidade de toda a matéria que existe no Universo sendo uma oportunidade para observar como as teorias espirituais e científicas caminham cada vez mais em sentidos convergentes.
Através duma compreensão profunda das forças que movem o ser humano, novas dimensões interiores são reveladas a todos os participantes, talvez, facilitadoras de novos caminhos para a felicidade e realização pessoal.
Este trabalho propõe trazer à luz os problemas que acontecem com membros do grupo familiar e que foram assumidos, por uma lealdade inconsciente, por outros membros. Ao mesmo tempo, procura-se uma solução que, restabelecendo o fluxo do Amor onde ele foi interrompido, permite que cada um reocupe o seu lugar no sistema.
Nas Constelações Familiares trabalhamos com aquilo que emerge, que poderá ser do campo físico, mental, emocional ou espiritual.
Desde o sistema familiar de origem, ao sistema da família actual e à família mais alargada, todos possuímos imagens interiores que nos impõem duma forma inconsciente os seus laços subtis, levando ao surgimento de situações que se repetem, onde tomamos atitudes e condutas que escapam à nossa própria vontade e nos causam sofrimento na nossa vida e na nossa família.
Na Família a que pertencemos podem haver lugar a destinos que influenciam, implicam e afectam todos os seus membros e a nós próprios.
FACILITADORA
Maria Gorjão Henriques
Nascida em Lisboa no dia 11 Maio de 1971.
Psicóloga de formação e apaixonada pela obra de Jung,
Facilitadora de Constelações Familiares (formação na Áustria com Bert Hellinger em Hellinger Ciência), Astróloga, terapeuta de Xamanismo e professora de Reiki e Karuna Healing System.
Maria olha para as Constelações familiares a partir da visão do Xamanismo como uma via de trabalho que concilia e unifica as várias áreas de intervenção terapêutica.
Fundadora do Espaço Amar,
um espaço que promove novas consciências através do despertar de cada um para uma viagem de auto conhecimento na via da Individuação.

Luís Resina
Astrólogo, conferencista, conselheiro e investigador nas áreas esotéricas desde 1975. Membro do Movimento Despertar Portugal
Consciência Individual, Consciência Universal, o despertar da Consciência da Alma Portuguesa
Para Fernando Pessoa “D. Sebastião” representa simbolicamente Portugal.
Para Pessoa, D. Sebastião, o Encoberto, representa a alma nacional adormecida, o povo português, esperando o despertar de seres que a levem à consumação da última parte da missão portuguesa
D. Sebastião o Desejado é a figura mítica nacional que encarna a integração dos dois hemisférios cerebrais, é o Ser que aguarda a hora na qual os heróis despertam e se revelam como os agentes da transformação alquímica dos Novos Tempos, os verdadeiros políticos do Espírito que irão revolucionar a matéria e transmutar a mentes conformistas, ociosas e separatistas, emaranhadas nos conceitos arcaicos da sociedade actual e da cultura reinante. O Desejado é a figura simbólica que exemplifica a integração e a transcendência de todos os contrários complementares: ocidente/oriente, Cristo e Buda, ser e nada, caos e ordem, real/ilusão, consciente/inconsciente, individuo/colectivo… Sendo uma figura arquetípica é um ser atemporal que se manifesta nas três instâncias comuns da temporalidade: o que sempre foi, o que é e o que há-de vir a ser.
D. Sebastião o Encoberto – o adormecimento da Alma Portuguesa, esperando por um Avatar que nos acorde e desperte para a missão que nos cabe realizar e cumprir
D. Sebastião o Desejado – o retorno do espírito colectivo plasmado num grupo de Argonautas dispostos a revelar o mistério do “Graal” ao Mundo.
Excerto do livro: "Portugal, a Mensagem da Mensagem" de Luís Resina
http://despertarportugal.com/lresina/

Manuela Maciel
“A truly Therapeutic method should aim nothing less than the whole mankind”
J.L. Moreno in “Who Shall Survive?” 1936
Serão utilizados métodos de Psicodrama e de Sociodrama que visam conhecer e intervir nas tensões sociais dentro de um grupo e desenvolver a auto-consciência de cada ser humano.
As técnicas de sociometria serão utilizadas para observar a dinâmica do grupo no que se refere à identificação social com vários e diferentes critérios.
As técnicas de psicodrama e de souldrama permitirão a troca de papel entre o segundo e o primeiro universo e o acesso mais pleno a um nível mais elevado de consciência cósmica e o despertar do centro autónomo de cura.
As técnicas de sociodrama permitirão resolução de eventuais tensões sociais expressas num determinado grupo, que ao ser tratadas contribuirão para a cura social (sociatria)
No final será também apresentado um dos modelos de Pierre Weil (Fundador da UNIPAZ): o psicodrama da Esfinge, símbolo antigo que representa o Ser Humano auto-consciente.
Manuela Maciel, Psicóloga Clínica, Coordenadora do Centro de Psicoterapia “A Esfinge”, Vice-Presidente da Sociedade Portuguesa de Psicodrama, Presidente da Associação EMDR Portugal. Certificada em psicodrama, EMDR e Transgeracional. Coordenadora e autora em vários livros e conferências de psicodrama e sociodrama. Apresenta cursos e workshops em vários países do mundo.
www.manuelamaciel.com, contactar manuelamaciel@sapo.pt


Maria Flávia de Monsaraz
Maria Flávia de Monsaraz formou-se em Escultura na Escola Superior de Belas Artes de Lisboa.
Foi bolseira da fundação Calouste Gulbenkian, tendo feito um estágio em Paris, na Escola Superior de Artes Decorativas.
Durante quinze anos dedicou-se inteiramente a um novo tipo de tapeçaria, a "Nova Tapeçaria", de que foi pioneira em Portugal.
Estuda Astrologia há 36 anos.
Com o tempo, este conhecimento foi-se afirmando como algo cada vez mais significativo, impondo-se a opção de trocar a tapeçaria por uma adesão total ao ensino da Linguagem Sagrada que é a Astrologia.
Em 1987 funda o Quiron, Centro Português de Astrologia.
Atende pessoas diariamente orientando-as para o possível auto-conhecimento das suas Vidas, como Projecto Maior.

Mário Resende
Mário Resende, licenciado em Filosofia e Mestre em Psicologia Clínica e Psicopatologia, com Carteira Profissional do Ministério do Trabalho em Psicologia, área de Psicologia Clínica. Psicoterapeuta de orientação Transpessoal (www.eurotas.org), terapeuta de regressão certificado (www.earth-association.org), e formador acreditado na área da Terapia Regressiva pela European Academy of Regression Therapy (www.earth-network.org). Concebeu e coordenou a primeira formação em Terapia Regressiva e Técnicas Integradoras (TRTI) de 2005-2007 (www.alubrat.net), que dirige actualmente com Ilja van de Griend. Vice-presidente da Alubrat (Associação Luso Brasileira de Transpessoal) de 2003 a 2006, é certificado Life-Between Lives Hypnotherapist (www.spiritualregression.org), e Pós-Graduado em TRVC e Hipnose Clínica e Experimental pelo Instituto de Formação Avançada da Faculdade de Medicina de Lisboa. Com formação em Terapia Psico-corporal com Thomas Riepenhausen (Massagem Biodinâmica), e em Psicanálise pelo Sonho Acordado com Marc-Alain Descamps, é facilitador certificado de Meditações Activas pela OSHO Multiversity de Puna - Índia -, e Aum Meditation Leader pela Humaniversity na Holanda.

Maria del Mar Cegarra Cervantes
O nosso corpo como veículo de expressão do meu Eu Essencial.
Neste Workshop serão abordados dois conceitos base da Biossintese: a inclusão e a tripla presença, como forma de integração entre o pensamento,sentimento, acção e espiritualidade.
Dra. Maria del Mar Cegarra Cervantes. Psicóloga Clínica, Psicoterapeuta Somática em Biossíntese, Professora Sénior pelo International Institute for Biosynthesis, Directora do CPSB (Centro de Psicoterapia Somática em Biossíntese) e Vice-Presidente da Asociación de Somatoterapia Española.

António Teixeira
Um dos orientadores e membro da Direcção da União Budista Portuguesa
AS OITO CONSCIÊNCIAS NO BUDISMO
Defronta-se a Psicologia e a Ciência modernas com alguns problemas face à definição – e à localização cerebral - da consciência, aspectos que se têm tornado mais investigados, mas que se apresentam não menos problemáticos, no séc. XXI. Essa investigação, levada a cabo, em particular, no campo das chamadas neurociências tem-se revelado bastante frutuosa por exemplo nas distinções da consciência face à atenção e à intenção, aspectos mentais tantas vezes colados com a consciência. Porém, tem deixado a própria definição de consciência mais difícil não só pelas suas variantes, como pelas zonas de localização da actividade cerebral encontradas.
O budismo na sua qualidade de “Ciência da Mente” desde há cerca de dois milénios e meio que se tem vindo a debruçar e a ensinar sobre o fenómeno da consciência – o chamado quinto agregado ou skandha. Mais ele é, verdadeiramente, chave para o entendimento e progresso na Via espiritual que o Buda e seus seguidores nos deixaram neste já longo período de tempo. A abordagem budista pode ser descrita através por exemplo de uma, seis ou oito consciências. Assim, segundo a Escola Vijnanavada ou Yogachara fala-se de Oito Consciências.
Apresentam-se pois, nesta palestra, após uma resumida visão cientifica actual, estas oito consciências bem como um desenho simbólico das mesmas, da autoria do lama alemão Anagarika Govinda, onde este realçou o “lugar” da “matéria-prima” dos antigos alquimistas e isto apenas para efectuarmos uma analogia com a apresentação, diferente, mas próxima e, a nosso ver geometricamente mais precisa - obtida num contexto tipicamente ocidental mas numa abordagem diferente – de Lima de Freitas, precisamente na construção e descrição da chamada Vesica Piscis, Mandorla ou Amêndoa Mística – que era dita ser o “ventre de todos os mistérios” e onde os escultores e pintores medievais colocavam, precisamente, o Cristo.
Termina-se com algumas referências à inconsciência e ao inconsciente colectivo (de Yung) e fazendo uma síntese da consciência em termos das consciências dual e não-dual, fundamentais na compreensão budista.
António Teixeira é engenheiro químico e foi director do Departamento de Contrastarias da INCM durante quinze anos, Presidente da Associação Internacional de Contrastarias em 2009 e fazia parte do Conselho Técnico de Ourivesaria. É também co-inventor da moeda bimetálica lamelar em ouro e prata. Tem-se dedicado há mais de trinta anos ao estudo e prática do budismo, bem como à investigação das tradições iniciáticas ocidentais e seu simbolismo. Fazendo parte da actual direcção da União Budista Portuguesa tem, igualmente, feito parte do seu corpo docente para cursos de Introdução à Filosofia Budista, de Ioga e de Introdução à Meditação, como ainda de representação da mesma quer para encontros e grupos de trabalho inter-religiosos ou apresentações do budismo a nível do ensino secundário ou superior, bem como programas de televisão Conferencista sobre temas ligados ao budismo, à história do Tibete e em particular à sua descoberta, para o mundo ocidental, efectuada pelos jesuítas portugueses do séc. XVIII e da sua forma de budismo, bem como do Simbolismo na Arte Ocidental, nomeadamente portuguesa. Tem ainda escrito diversos artigos para revistas e livros de que é co-autor sobre os assuntos supracitados.

Astrologia no Funchal, por Helena Sofia

Olá Amig@s
Aqui vai uma sugestão para quem vive na Madeira e quer abrir horizontes, aprendendo a encontrar um novo olhar e assim conhecer mais da sua natureza, dos outros e da própria vida nos seus ciclos, através do mistério da Astrologia.
Uma arte e uma ciência. Quando comecei a estudar Astrologia, com a minha querida madrinha da Astrologia, a HelenaSofia, senti-me tão aliviada como entusiasmada por perceber o quão semelhantes somos todos, na nossa mágoa, vergonha, raiva, medo, carência, obsessão, esperança, amor, confiança, timidez... Em contextos diferentes, de formas diferentes, os mesmos elementos vivem em todos nós!Não havia mais porque esconder. E ao revelar-me permiti que outros, que também se escondiam (sim, escondemo-nos todos e até de nós próprios), se revelassem também um pouco mais, e na nossa nudez sentimo-nos envolvidos por cada vez mais amor e união. E em lugar de fraqueza, que essa vulnerabilidade parecia indicar, encontravamos força, maior capacidade de amar, e maior capacidade de nos sentirmos amados. Paradigmas ilusórios vão caindo, e um novo mundo, que inclui este, foi-se revelando. Foi a descoberta e o estímulo de que precisava, nessa grande viragem na minha vida para, ao saber apenas qual não era o meu caminho, partir para procurar o meu! - calma, não se assustem que nem todos precisam fazer mudanças tão drásticas! Cada um deve encontrar em si, o que manter e o que transformar - é um processo único. Porém regido por leis que se estendem a todos nós. Como a gravidade - posso ter 1000kg ou 100kg, porém basta-me viver nesta terra para estar sujeita à mesma lei da gravidade, não há nada de pessoal nisso, nem castigo, nem recompensa. E nada me impede de aprender formas de voar, desde que conheça e respeite essa (e outras) lei(s).
É nosso desafio estruturar uma personalidade ou ego que integre todos estes eus internos, de forma funcional (desenvolvimento pessoal)... para mais tarde transcendê-lo, integrando-o desapegadamente no nosso EU verdadeiro (Eu Superior, Eu transpessoal ou o que lhe queiram chamar), e assim manifestando-se na terra em Seu nome, ao Seu serviço e ao serviço do Mundo (desenvolvimento transpessoal).

Desejo sinceramente, que com o apoio da Astrologia ou de qualquer outra ferramenta válida, todos aceitem embarcar e conduzir a própria jornada de Desenvolvimento Pessoal e Transpessoal.

A tod@s
Aquele Abraço
Margarida Santos

Caros Amigos:
Quer aprender Astrologia?
Venho informar que vai ter início um novo Curso de Iniciação à Astrologia numa perspectiva Kármica, Humanista e Transpessoal por Helena Sofia.. está na altura certa de começar...

O curso decorrerá às Terças-feiras das 19 às 20h30 ... na Rua de Santa Luzia 22. Início no dia 8 de Novembro.
Esta formação surge numa intenção evolutiva de proporcionar um nível mais elevado de consciência e auto-conhecimento.
Destina-se a todos que queiram entrar em contacto com a linguagem simbólica da astrologia, e com a sua dinâmica evolutiva, como forma de entender o significado e o propósito do seu percurso humano e transpessoal.


Mais detalhes em seguida e no panfleto em https://docs.google.com/viewer?a=v&pid=explorer&chrome=true&srcid=1s5x9JeSUOmbcNlkAuzo_3b8d9B1PftdU7GuepmezKx9m_aDpbecOzkkwI8Yb&hl=pt_PT

Para mais informações pode contactar-me através dos nº 96 2507305 ou 91 9771612 ou ainda por mail helenasofia@netmadeira.com

Aguardo o vosso contacto, caso estejam interessados...
atentamente,
Helena Sofia
Reencaminhe por favor este mail aos seus contactos...


A Astrologia é uma linguagem simbólica, uma linguagem sagrada ao serviço de uma ciência esotérica. Exprime a intenção inteligente do Universo e tem o poder de situar o Homem, de o revelar a si próprio.
O Universo tem um propósito, oculto, divino e espiritual, uma intenção, e é necessário reconectar novamente a ordem cósmica, as grandes Leis do universo e o sentido da vida, acordar o Homem do século XX para uma dimensão maior.
Ciência filosófica, esotérica e iniciática (todos os grandes mestres da Humanidade se socorreram da Astrologia para passar a sua mensagem), a Astrologia é um conhecimento rigoroso. Ensina as relações energéticas existentes entre o Homem e as forças vivas do Universo. Hoje, a Astrologia tem a dimensão que nunca teve, uma dimensão de interdisciplinaridade. Mãe de todas as ciências, é a ordem que está por detrás de toda a realidade.
Numa época de crise de valores e de motivações que nasceu da incompreensão e rejeição racionalista das leis cósmicas e da dimensão espiritual do Homem, e, num momento em que as pessoas são chamadas a fazer aquilo que o Jung chamava o “processo de individuação”, a Astrologia aparece como a grande referência, rigorosa, que não engana nunca, como uma estrutura inteligente que dá significado a cada minuto de vida, onde cada pessoa pode conhecer-se a si própria e encontrar em si as respostas para o sentido da vida, se for fiel à sua interrogação mais profunda, chegando assim a uma maior compreensão das dinâmicas que regem a Evolução da Consciência Humana.
Linguagem que revela a cada pessoa o seu potencial - as suas capacidades, dificuldades, inclinações, problemas, talentos, tendências, tensões, tempos de evolução… denunciando momentos de crise e ajudando a perceber porque é que as crises acontecem, o que podem ensinar-nos e que objectivo têm. Assim, oferece a possibilidade de dar significado às experiências da vida no âmbito mais vasto do desenvolvimento consciente.
O Tema Astrológico é o mapa do caminho, um guia no percurso do auto-conhecimento, o guia que temos para nos levar de volta a nós mesmos, ou como diz Dane Rudhyar, um “conjunto de instruções celestes para a auto-realização”.
“O Homem é solicitado a fazer de si mesmo aquilo em que deveria tornar-se, para realizar o seu destino”.
O Curso destina-se a iniciar os participantes ao simbolismo astrológico e às grandes Leis que regem o Universo e podem guiar qualquer processo
de Auto-conhecimento e desenvolvimento pessoal. Para acompanhar as aulas será fornecido um amanual de apoio ao curso.
Programa:
O Sol. A Lua.
O Mercúrio. Ciclo Sol – Mercúrio.
Vénus. Marte.
Júpiter. Saturno.
Urano - Neptuno - Plutão. Deuses do (in)consciente. Deuses da mudança.
A relação entre Planetas, Signos e Casas.
Introdução aos Aspectos. Dinâmica de aspectos e seus ciclos

Helena Sofia Barata Alves nasceu em Lisboa em 1963. Licenciada em Educação Física pelo ISEF-UTL.
- Iniciou os estudos de Astrologia em 1993 pela mão de Maria Flávia de Monsaraz através do Quíron - Centro Português de Astrologia. Nos primeiros seis anos estudou de forma solitária. Em Novembro de 1999 convidou pela primeira vez Maria Flávia de Monsaraz para a realização de um Seminário de Introdução à Astrologia no Funchal. Desde essa data tem organizado não só Cursos de Astrologia como também Conferências e Seminários no âmbito da espiritualidade, do auto-conhecimento, da auto-cura e do desenvolvimento pessoal - matérias que considera serem uma mais valia ao acréscimo de consciência que a Astrologia por si só já proporciona. Já teve oportunidade de aprender Astrologia com diversos astrólogos portugueses e estrangeiros entre os quais se destacam Maria Flávia de Monsaraz, Paula Chambell, José Augusto, Alan Oken, Nuno Michaels, Luís Resina, Juliana Estevez, Margarida Amaro, Nuno Cabral e Paulo Cardoso.
- Facilitadora do Método Louise Hay.
- É canal de Reiki com o 2º grau.
- Desde 2001 que tem a seu cargo o 1º ano de Iniciação à Astrologia no Funchal. Criou no passado o 2º e 3º ano de aprofundamento Astrológico realiza pela 1ª vez o 4º ano no presente ano.
- Faz aconselhamento Astrológico através da leitura do tema de cada um.
- A síntese da Astrologia com o Método Louise Hay leva a criar a consulta terapêutica, na qual e a partir do mapa natal e de exercícios dirigidos ao inconsciente leva a pessoa a uma viagem interior e ao desbloquear de padrões limitativos.
Ainda neste sentido cria com Margarida Santos (www.YhiolaScalata.blogspot.com) o workshop "Triplicidade da Alma" - Uma abordagem Astrológica, Vivencial e Psicológica onde juntam estas duas áreas (Astrologia e Método Louise Hay) à terapia regressiva.

Cura e Crescimento: Um Ano de Desenvolvimento Integral (Integrado na Formação em TRDI, 2011/12), Apresentação Pública do TRDI (20 de Outubro) e Aula Aberta do TRDI (22 Outubro)

Olá Amig@s

Cada vez mais sabemos, ou pelo menos ouvimos falar sobre a relatividade do tempo e do espaço, sobre esse mistério que é o tempo e o espaço fazerem parte deste plano dual em que vivemos, existindo um plano de unidade onde tudo é e existe independente do tempo e do espaço...
Vivendo aqui e agora, precisamos de gerir os nossos recursos e estabelecer prioridades de acordo com o que sabemos e sentimos. E se é verdade que as crises são dolorosas, também é verdade que constituem verdadeiras oportunidades de crescimento, que depende da capacidade de cada um de nós de rever-se, a si próprio e ao mundo, transformando-se a si e à forma como vê. É um facto que esse processo é individual, e ninguém o pode fazer pelo próximo, mas há que estar atento às mãos estendidas que a vida nos oferece.
Assim, talvez alguns de vós possam estar interessados neste oportunidade de CRESCIMENTO E CURA INTEGRAL, que é parte integrante da Formação em Transpessoal-Regressão e Desenvolvimento Integral (TRDI, 4 ed.) e que pode ser frequentada por si ou, opcionalmente, complementada por PISOCOTERAPIA TRANSPESSOAL (2 h mensais).
Fica a proposta, e saibam que a primeira aula decorrerá no dia 12 de Novembro de 2011.
Aproveito também para convidar-vos novamente à aula que a AlmaSoma oferece, novamente, no próximo sábado dia 22 (entre as 9h às 19h), e ainda para a Apresentação Pública que decorrerá no dia 20, às 20:30h: ambas são de entrada livre, decorrerão no mesmo local (Quíron, na Rua Vítor Córdon 5, Lisboa) e só a aula aberta requer pré-incrição.
A tod@s
Aquele Abraço
Margarida Santos


CURA E CRESCIMENTO: UM ANO DE DESENVOLVIMENTO INTEGRAL

Meditação Tradicional e Activa
Escolas de Desenvolvimento Espiritual Tradicionais e Contemporâneas
Terapia (opcional)

Novembro 2011 a Setembro 2012 em Lisboa, Sábados de Manhã
40€ (sem terapia) ou 95€ (com terapia – uma sessão mensal – 2h)

Facilitadores: Mário Resende, Ilja van de Griend e Equipa

A AlmaSoma. Instituto de Transpessoal oferece a possibilidade de participação de interessados em dois sábados de manhã da sua formação em Transpessoal-Regressão e Desenvolvimento Integral (TRDI).
O segundo sábado de cada mês terá uma abertura com meditação tradicional e activa, isto é, um processo somato-psico-espiritual, com envolvimento do corpo, das emoções, da mente e da dimensão transpessoal do ser, imanente e transcendente a todas as outras. Após um intervalo, seguem-se as Escolas de Desenvolvimento Espiritual Tradicionais e Contemporâneas, formação teórico-prática (mais detalhes sobre o conteúdo programático podem ser lidos abaixo).
Este bloco principal pode ser complementado de modo opcional e sem custos adicionais por outra Meditação no quarto sábado de cada mês e por Terapia Individual (uma sessão mensal de Psicoterapia de orientação Transpessoal com pendor regressivo – 2h – e um custo adicional de 55€).
Desde modo, os interessados poderão participar da dinâmica da formação através de um processo de Cura e Crescimento Integral tendo o nosso acompanhamento ao longo de dez meses.

ESCOLAS DE DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL CLÁSSICAS E CONTEMPORÂNEAS
Serão objecto desta disciplina as palestras de Eva Pierrakos, que deram origem a uma escola contemporânea de desenvolvimento pessoal e espiritual espalhada por vários países e continentes, intitulada PathWork, O Trabalho do Caminho. Nelas se condensam uma apresentação psicodinâmica das relações entre a alma e o ego, e de como os mecanismos de defesa distorcem o potencial de Poder, Amor e Luz que em nós reside, e a manifestação do que nos é essencial.
Será igualmente nosso objecto o estudo da obra de Swami Satyananda Saraswati, Kundalini Tantra, fundador de uma escola de Yoga de linhagem tradicional. Através dela poderá ser entendido, do ponto de vista energético e meramente técnico, o Processo de Iluminação. Através do seu trabalho poderão ser abordados os conceitos de Kundalini, Chacras, Emergências Espirituais e Desenvolvimento Psíquico. O estudo será complementado pela análise de capítulos da obra de Marc-Alain Descamps, professor de yoga e professor de psicologia na Sorbonne, Corpo & Êxtase. As Técnicas Corporais do Êxtase.


Os interessados deverão previamente registar-se por email (info@almasoma.pt) ou pelo 96 999 01 90, escrever Carta de Motivação e estar disponíveis para breve entrevista telefónica.
Local: Quíron, Rua Vitor Córdon, 5, Lisboa (Chiado).
Siga o link para ver o mapa:

http://almasoma.pt/Localizacao-de-Actividades/formacao-trdi/

INFORMAÇÃO ADICIONAL SOBRE A FORMAÇÃO EM TRDI (NÍVEL I)
Apresentação Pública: A AlmaSoma. Instituto de Transpessoal apresenta publicamente o Nível I (2011-2012) da sua formação em Transpessoal-Regressão e Desenvolvimento Integral no dia 20 de Outubro, às 20.30h, na Rua Vítor Córdon 5 (no Chiado, espaço Quíron). Todos os interessados que tenham questões sobre a formação ou queiram conhecer alguns dos seus intervenientes são convidados a estar presentes (não necessita de marcação prévia).

Aula Aberta: No dia 22 de Outubro a AlmaSoma. Instituto de Transpessoal volta a oferecer uma Aula Aberta atendendo às elevadas solicitações que tivemos relativamente à primeira que decorreu no dia 8. A Aula Aberta de um dia permitirá o contacto com a dinâmica e as características da formação em Transpessoal-Regressão e Desenvolvimento Integral (TRDI).
O Programa da Aula Aberta será composto por uma introdução à Psicologia Transpessoal e às Meditações com Movimento, à Imaginação Activa e à Regressão de Memória como técnicas da Psicoterapia Transpessoal, por demonstrações por Mário Resende e Ilja van de Griend - quer individuais quer em grupo -, e por momentos de Meditação com Movimento. Para além da apresentação do nosso grupo de formadores, da estrutura da formação e de outros esclarecimentos adicionais. Teremos intervalos para coffee-break com espaço para questões de natureza pessoal. Recepção às 9h, com chá e café disponível.
Os interessados na Aula Aberta deverão previamente registar-se por email (info@almasoma.pt) ou pelo 96 999 0190, e trazer roupa confortável.
Local: Quíron, Rua Vitor Córdon, 5, Lisboa (Chiado).
Siga o link para ver o mapa:
http://almasoma.pt/Localizacao-de-Actividades/formacao-trdi/


Saudações Cordiais,
Mário Resende, Ilja van de Griend e demais Formadores, Coordenadores e Assistentes


Aula Aberta - Transpessoal-Regressão e Desenvolvimento Integral (TRDI), 22 Outubro de 2011

Olá Amig@s
A Aula de Abertura da Formação em Transpessoal - Regressão e Desenvolvimento Integral (TRDI), promovida pela AlmaSoma. Instituto de Transpessoal, no dia 8 de Outubro do corrente, teve tão grande afluência que conduziu à decisão de repetir aquela aula no próximo dia 22, de modo a ser possivel receber mais interessados sem comprometer a qualidade da formação com um grupo excessivamente grande.
Quem são os destinatários?
De uma forma geral diria simplesmente: todos aqueles que sintam esse apelo e ressonancia.
Claro que isso inclui os formandos que não puderam estar presentes na aula anterior; candidatos a esta edição da formação em TRDI; interessados porém indecisos sobre participar ou não nesta 4ª edição do curso(*) ou edições posteriores; e aqueles que não estando à partida interessados em fazer o curso, têm interesse em experimentar a sua primeira aula, conhecendo melhor do que tratará o curso, a sua dinâmica e as pessoas que colaboram naquela jornada de cura e desenvolvimento transpessoal e de formação profissional.

Poderão solicitar mais informações sobre esta aula aberta e/ou sobre a Formação pelo email info@almasoma.pt, pelo número telem 96 999 0190, e/ou através do site www.almasoma.pt.
(*)Quem quiser inscrever-se nesta edição em TRDI deverá enviar um CV (detalhado ou abreviado) e uma carta de motivação para info@almasoma.pt. Será necessário também uma entrevista com Mário Resende e/ou Ilja van der Griend, Directores da Formação, que poderá ser dispensada com a participação numa Aula Aberta. As próximas aulas dos formandos aceites decorrerão nos dias 12 e 13 de Novembro (teóricas e práticas) e no dia 26 de Novembro (práticas supervisionadas).


Um grande e caloroso abraço

Margarida Santos


Aula Aberta da Formação em TRDI
No próximo dia 22 de Outubro, das 9 às 19h, em Lisboa (Chiado), a AlmaSoma - Instituto de Transpessoal, irá oferecer uma Aula Aberta de um dia que permitirá o contacto com a dinâmica e as características da sua formação em Transpessoal-Regressão e Desenvolvimento Integral (TRDI).
O programa da Aula Aberta que será simultaneamente Dia de Abertura da nova formação em TRDI, será composto por uma introdução à Psicologia Transpessoal e às Meditações com Movimento, à Imaginação Activa e à Regressão de Memória como técnicas da Psicoterapia Transpessoal, por demonstrações por Mário Resende e Ilja van de Griend - quer individuais quer em grupo -, e por momentos de Meditação com Movimento. Para além da apresentação do nosso grupo de formadores, da estrutura da formação e de outros esclarecimentos adicionais. Teremos intervalos para coffee-break com espaço para questões de natureza pessoal. Recepção às 9h, com chá e café disponível.

Os interessados deverão previamente registar-se por email (info@almasoma.pt) ou pelo 96 999 0190, e trazer roupa confortável.
Local: Quíron, Rua Vitor Córdon, 5, Lisboa (Chiado).
Siga o link para ver o mapa: http://almasoma.pt/Localizacao-de-Actividades/formacao-trdi/

Informações Adicionais
TRDI – Formação em Transpessoal-Regressão e Desenvolvimento Integral
Certificação Nível I 2011/2012 (acesso a Certificado de conclusão curricular e de domínio de técnicas específicas)
Certificação Nível II 2012/2013 (acesso ao Certificado Europeu de Terapeuta de Regressão - Earth)
Certificação Nível III 2013/2014 (acesso a Certificado de Terapeuta de Orientação Transpessoal)


Certificação Nível I 2011-2012
A Certificação de Nível I permite a abertura do Processo Pessoal e de Desenvolvimento Espiritual, o acesso a um conjunto de conhecimentos e de ferramentas promotoras do auto-conhecimento e de resolução de conflitos internos, e a aprendizagem de técnicas próprias da Psicoterapia Transpessoal, nomeadamente a Imaginação Activa e a Regressão Biográfica, entre outros conteúdos.
Escolas de Desenvolvimento Espiritual Tradicionais e Contemporâneas
Técnicas de Regressão ao Passado Biográfico (Trauma Físico, Emocional e Mental, Vinculação, etc.)
Técnicas de Regressão ao Período Natal e Péri-Natal
Competências Terapêuticas (nível I)
Psicologia e Psicoterapia Transpessoal (nível I)
Psicologia no Contexto da Psicoterapia (nível I )
Práticas Supervisionadas
Terapia Individual e Processo Pessoal
Nota: A Certificação de Nível I é uma certificação de frequência e curricular, não habilita ao exercício da terapia aqueles que não trabalham já em Saúde Mental.


Certificação Nível II 2012-2013
A Certificação de Nível II, para lá de aprofundar conhecimentos e técnicas do Nível I, permite o domínio da maioria da técnicas de regressão de memória e a capacidade de utilizar terapeuticamente a diversidade de conteúdos que emergem nos Estados Modificados de Consciência.
Técnicas de Regressão a Histórias Arquetípicas (Histórias Simbólicas, Histórias de Existências Pretéritas, etc.)
Técnicas de Imaginação Activa para Histórias de Presenças e de Energias Intrusas (Defesa Psíquica)
Competências Terapêuticas (nível II)
Estruturas de Carácter (nível II)
Psicologia e Psicoterapia Transpessoal (nível II)
Psicologia no Contexto da Psicoterapia (nível II)
Práticas Supervisionadas
Terapia Individual e Processo Pessoal
Nota: A Certificação de Nível II permite o acesso directo ao Certificado Profissional da European Association for Regression Therapy (Earth).


Certificação Nível III 2013-2014.
A Certificação de Nível III, para além de aprofundar os Níveis anteriores, oferece Supervisão e um conjunto de conhecimentos e de ferramentas indispensáveis a um Terapeuta de Orientação Transpessoal.
Instrumentos Terapêuticos de Tradições Espirituais
Técnicas de Regressão Espiritual
Supervisão de Casos
Competências Terapêuticas (nível III)
Psicologia e Psicoterapia Transpessoal (nível III)
Psicologia no Contexto da Psicoterapia (nível III)
Práticas Supervisionadas
Terapia Individual e Processo Pessoal
Nota: A Certificação de Nível III permite o acesso ao Certificado final da AlmaSoma e candidatura ao Certificado de Psicoterapeuta Transpessoal pela Eurotas – European Transpersonal Association (o processo de acreditação da formação está em curso, sendo, no entanto, possíveis candidaturas individuais)

Investimento Mensal (10 x por Nível): 195€ (AlmaSoma) + 50€ (Terapia Individual)
Matrícula: 150€ ou diluída nas mensalidades conforme modalidade de investimento.
Peça Informações para outras modalidades de investimento ou para um Plano Individual de Investimento

Mais informações através do link http://almasoma.pt/formacao-terapia-regressiva---4-edicao/ ou pelo email (info@almasoma.pt) ou pelo tm 96 999 0190

Novas de Virgem - Reflexos e Reflexões

Olá amig@s

O sol transita os últimos graus de Virgem nos céus, signo que pintamos nos temas natais com cor de areia. Engraçado como as cores, e as referências que usamos para as nomear, acabam por dizer muito como quem não diz nada… assim é o poder e o mistério dos símbolos e dos arquétipos.

Depois da intensidade fogosa do leão, no pico do Verão, o sol toma agora uma cor mais pálida, como a areia – e esta dependente do sol para ficar cálida ou fria. Assim, importa trazer vivo no coração aquele fogo criativo, sendo hora de aprender a direccioná-lo da forma que melhor serve o nosso aprimoramento pessoal, e o da própria humanidade a que pertencemos. Que o sol ilumine os castelos que construimos e desfazemos.

Um grão de areia no sítio “errado” pode ser um empecilho ou, no “sitio certo”, o pormenor que fez toda a diferença; e com o aumentar do número de grãos de areia, o que dizer do potencial “empecilho” ou “maravilha” !? “Certo e errado” dependerá do contexto maior, e da força e da orientação que lhes for dada…

Uma chicoteada de vento que me traz um grão de areia para os olhos, recorda-me de não deixar-me cegar pelos detalhes, não deixar-me alterar por críticas excessivas e frias, e contudo estar atenta ao pormenor que faltava Ver, Tocar e Incluir para que a Obra seja Prima (se não de Deus, ao menos de um Filho Seu…).
E o quão necessário é, por vezes, um pouco de solidão para serenar a mente e ouvir-me silenciosamente!

Muitos grãos de areia, constroem e torneiam costas, rias, lagoas… Contêm a água, são movidos por ela e/ou sepultam-na. Recorda-me a força dos grupos… Como a sua manipulação pode ser construtiva e/ou destrutiva. Podem constituir armas letais ou instrumentos poderosos da luz e da verdade. Tudo depende da consciência que os anima e direcciona.
A (in)Consciência de cada Indivíduo - a sua capacidade de cooperar com o seu irmão, em sintonia com ele e com todos, e ao mesmo tempo atento ao seu próprio papel; a sua capacidade de observar o movimento do grupo, e ponderar a tarefa que lhe cabe e o seu propósito no contexto maior. Na sua ausência, rege a (in)consciência de quem o dirige, e a (in)consciência do próprio grupo e de cada um. A qualidade do Todo depende da qualidade de cada um. Somos UM.

Que saibamos aproveitar bem estes últimos graus de Virgem, e todos os (de)graus e oportunidades da Vida, para conceber e dar à luz o melhor de nós próprios, em pensamentos, emoções, palavras e acções – por cada um de nós, e pelo Bem Maior.
A tod@s
Aquele Abraço
Com Luz e Amor
Margarida Santos

Crescer como Terapeuta e como Pessoa: Pós-Certificação TRDI

Olá Amig@s
Deixo aqui outra sugestão, esta destinando-se àqueles que possuem já formação em Terapia Regressiva, TRDI, TRVC, Hipnose Regressiva e equivalentes.
Para além da supervisão de casos e de desenvolvimento como terapeuta, de um programa formativo rico que amplia a abordagem transpessoal da terapia regressiva, e de meditação, é possivel complementar estes módulos de um dia (2ºdomingo de cada mês) com Terapia Individual (2 horas mensais) e/ou com formação sobre Escolas de Desenvolvimento Espiritual Tradicional e Contemporânea e Meditação (sábado anterior à formação).
Assumo a minha parcialidade sobre esta Pós-Certificação e sobre a 4ªedição do TRDI (post seguinte). Desde que iniciei a minha formação na 2ª edição de TRDI (2007/2009) apaixonei-me pela Terapia Regressiva e Transpessoal e, longe de perder o enamoramento, sinto um amor cada vez mais profundo por este mistério que é o ser humano, a sua dor, sabedoria, amor..., e uma gratidão imensa pelas oportunidades de servir, pela alegria do trabalho e partilha com um grupo maravilhoso, e por também eu estar a crescer como pessoa e como terapeuta!
Parcialidade assumida, afirmo confiante: excelente oportunidade.
Qualquer que seja a via que faça sentido ao indivíduo, na fase em que se encontra, a aprendizagem e desenvolvimento pessoal e transpessoal são fundamentais à sua evolução como terapeuta (e ser humano). Somos todos diferentes, ainda que a nossa essencia seja divinalmente única, logo não "prescrevo chaves mestras" :)
Assim, querid@s colegas, o importante é simplesmente isso:
que continuemos a crescer como indivíduos e como terapeutas!
Um grande abraço
Margarida Santos


Caros colegas ou interessados com formação em Terapia Regressiva, TRDI, TRVC, Hipnose Regressiva ou equivalentes:

A AlmaSoma, no seu trajecto formativo, várias vezes sentiu a necessidade de oferecer um ano de formação complementar e de supervisão a formandos ou formados nas áreas da Terapia Regressiva dentro de uma orientação Transpessoal.
Materializamos isso agora com a abertura deste Pós-Certificado em TRDI - Crescer como Pessoa e como Terapeuta, que pretende facilitar aos inscritos o seu Desenvolvimento como Terapeuta, aprofundar os conhecimentos adquiridos e abrir novas portas.
Agradecemos a análise do documento a que pode aceder através de http://www.almasoma.pt/downloads/Pos-CertificacaoGeral2.doc ou fazendo o download directamente no site em http://www.almasoma.pt/pos-certificacao/ , nomeadamente da estrutura e conteúdo dos módulos.

Com os melhores votos,

Mário Resende & Ilja van de Griend

AlmaSoma - Instituto de Transpessoal


Visite-nos em http://www.almasoma.pt/

Para mais informações, contacte-nos através de: info@almasoma.pt
Do endereço: AlmaSoma, Rua de Santa Justa, 60 3ºDto, 1100-485 Lisboa
Do tlm.: 96 999 01 90

Transpessoal-Regressão e Desenvolvimento Integral, pela AlmaSoma.Instituto de Transpessoal

Olá Amig@s
Sou profundamente grata pela minha participação nesta 4ªedição da TRDI, que como todos nós tem vindo a crescer e transformar-se, revelando e proporcionando uma verdadeira e cada vez mais profunda experiência de Cura, Consciência e Serviço.
Convido-@ a ler esta informação com ponderação e coração aberto e, se um leve "bater de asas" soltar-se no seu peito, tavez seja a hora de seguir esse voo, na nossa companhia, rumo ao centro de Si e à (sua) melhor manifestação na vida - e da vida!
Com amor, força e luz,
num grande abraço
Margarida Santos









Transpessoal-Regressão e Desenvolvimento Integral
4ª Edição: Força, Amor e Luz
Lisboa, Outubro de 2011 a Julho de 2014

Uma Formação de Terapeutas;
Uma Oportunidade de Crescimento Pessoal;
Uma Oportunidade de Desenvolvimento Espiritual;
Uma viagem à volta do mundo interno: das vivências intra-uterinas às da vida adulta, das vivências simbólicas às histórias arquetípicas de existências pretéritas;
Uma viagem de integração do corpo, da emoção, da mente e do espírito;
Uma viagem de integração da Psicologia Clássica com a Psicologia Transpessoal e as Tradições Espirituais;
Uma viagem à liberdade, ao amor, ao poder pessoal, e à religação com as franjas mais subtis do ser;

Formação de Terapeutas na área da Psicoterapia Transpessoal e da Regressão de Memória, com ênfase no Processo de Cura Pessoal e de Desenvolvimento Transpessoal, promovendo um crescimento multidimensional, incluindo a espiritualidade. Recorre à teoria, à prática supervisionada, a processos de grupo e à meditação nas vertentes tradicional e activa, com implicação do corpo e da dança.  

Formação de 825 horas teórico-práticas divididas em 3 dias por mês, em pós-laboral - Sábado e Domingo -, dirigida por Mário Resende e Ilja van de Griend e tendo como Assistentes / Supervisores / Coordenadores: Alexandre Fernandes, João Martins, Margarida Santos, Marta Modas e Nuno Pinto. Com 60 horas de terapia pessoal incluídas, 255 horas de prática supervisionada e 30 horas de supervisão de casos no terceiro ano.

Com a participação de especialistas internacionais, como Hans Tendam, Roger Woolger e Morris Netherton – a TRDI é a única formação no mundo a reunir os 3 principais expoentes da Regressão ainda activos -, e especialistas nacionais como Mário Simões e Vítor Rodrigues, e é reconhecida pela EARTH (European Association for Regression Therapy - http://www.earth-association.org/).

As disciplinas centrais serão PSICOLOGIA - no contexto da Psicoterapia, da Psicossomática à Psicologia do Desenvolvimento e da Personalidade - PSICOTERAPIA TRANSPESSOAL - Imaginação Activa, Regressão, Instrumentos Terapêuticos de Tradições Espirituais e Competências Terapêuticas - MEDITAÇÃO E PROCESSOS SOMATO-PSICO-ESPIRITUAIS, e ESCOLAS DE DESENVOLVIMENTO ESPIRITUAL CLÁSSICAS E CONTEMPORÂNEAS.

Destinatários: psicólogos, psicoterapeutas ou outros com formação e experiência na Saúde Mental e/ou Desenvolvimento Pessoal; licenciados de outras áreas; e outros que, pela sua experiência de vida e interesses, se enquadrem dentro da proposta da formação, quer em termos profissionais, quer em termos de Desenvolvimento Integral. Cada candidatura será analisada individualmente e sujeita a entrevista de selecção.

Nota: No início do terceiro ano os formandos que preencham os requisitos receberão um certificado provisório declarando que a AlmaSoma os reconhece habilitados a conduzir sessões terapêuticas na qualidade de Terapeuta sob Supervisão.

Para ver testemunhos de edições anteriores, clique em: http://www.almasoma.pt/2-edicao-trdi/testemunhos/

Para mais informações contacte-nos através de: info@almasoma.pt
do endereço: AlmaSoma, Rua de Santa Justa, 60 3ºDto, 1100-485 Lisboa;
Do tlm.: 96 999 01 90;







Vivência Holística da Gravidez e Parto, com Carla Silveira

Olá Amigos



Deixo aqui esta sugestão, para aqueles que aceitaram o convite misterioso da vida de gerar e trazer a este mundo um bebé!
Muito tenho aprendido sobre o impacto do período intra-uterino e nascimento ao longo da vida, e quanto mais aprendo mais pasmo perante a sua relevância (e perante tudo o que ainda não sei)!!
Espero sinceramente que um dia estejamos todos sensibilizados e livres (inclusive do trauma do nosso próprio nascimento) para:
*como mães - viver a gravidez com prazer, sem ansiedade, e em contacto com o bebé, e tirando o melhor partido do seu próprio corpo e psique durante o parto
*como pais e/ou médicos/parteiros - auxiliar/acompanhar quem gera e dá à luz, com máxima tranquilidade e humanidade;

e TODOS recebermos com as melhores boas vindas os recém-chegados, com todo o amor e delicadeza que merecem!!

e sabermos depois avançar através daquela fase delicada de celebração pelo início desta nova etapa de vida e de luto por aquilo que deixou de ser...

Enfim! Possamos todos aprender a nascer e renascer em todas as fases da nossa vida, e a ligarmo-nos cada vez mais amorosamente aos outros e à Vida !



Aquele abraço



Margarida Santos



Olá!

Em Março começamos um novo ciclo de Vivência Holística da Gravidez e Parto. Reformulámos alguns conteudos e outras tantas dinâmicas e decidimos converter o curso num formato modular.
Assim, esta nossa vivência passa a ter 3 módulos:
1º Módulo - Germinando a Semente (o encontro com a Gravidez com todas as suas descobertas)
2º Módulo - Parir e Nascer (uma abordagem sobre a natureza do parto, preparando a mãe e o pai para esse momento)
3º Módulo - Nutrir a Vida de Corpo e Alma (O puerpério, a amamentação, cuidados com bebés, com as mães, com os casais...)

Os módulos podem ser feitos todos seguidos ou mais espaçados no tempo consoante o tempo de gravidez e a vontade de fazer a totalidade vivência. E quem quiser pode fazer apenas um módulo.
A próxima vivência vai acontecer no Daya - Yoga e Terapias (na Rinchoa - Sintra) nas seguintes datas:
1º módulo - 12 de Março
2º módulo - 20 de Março
3º módulo - 26 de Março

Em Abril (ainda em data a definir) estaremos no Porto.

Vejam no anexo (https://docs.google.com/viewer?a=v&pid=explorer&chrome=true&srcid=1YumCYbjZcZNjQBeMZ5sGqw49dcTk1gE8zddBuEfb_SNDLgbkCojPArODNJHl&hl=pt_PT) mais informação sobre esta Vivência.


Estamos disponíveis para inscrições e mais informações neste email (carlasilveira33@gmail.com) ou no daya.yogaeterapias@gmail.com e no telemóvel 968 221 869

Se sentirem o apelo, por favor divulguem este email pelos vossos contactos

Muito gratos,
Um abraço

Paulo e Carla